Plataforma e Armazém Cultural receberão obras de conservação e readequação

09/07/2018 22h25
Categoria: Cultura

Assessoria



A Prefeitura de Campo Grande lança na segunda-feira (2) o projeto de reforma da Plataforma Cultural e do Armazém Cultural. Os prédios, localizados na Esplanada Ferroviária, receberão obras para a conservação e readequação.

Serão realizadas recuperação do telhado, muros, instalações elétricas, pinturas, correções e reparação na estrutura e Projeto de Segurança contra Incêndio e Pânico do conjunto, desinterditando o Armazém Cultural, que foi embargado pelo Corpo de Bombeiros em 2016.

A falta de ações nos edifícios que compõem a Esplanada Ferroviária e seu entorno comprometeu seu estado físico, além dos danos ocasionados em decorrência das precipitações e rajadas de vento desde 2015.

“A restauração deste edifício oferece aos campo-grandenses mais uma opção de espaço amplo, adaptado para a realização de eventos sociais, culturais e promocionais, com capacidade para receber cerca de mil pessoas”, pontua a Secretária Municipal de Cultura e Turismo, Nilde Brun.

Esplanada Ferroviária

O Complexo Estrada de Ferro Noroeste do Brasil (NOB) está localizado na área central da cidade, sendo a entrada principal pela Rua Calógeras. Seu contorno periférico são as ruas 14 de Julho, Antônio Maria Coelho, Ferroviários e Eça Queiroz, totalizando uma área de 22,3 hectares. Este conjunto arquitetônico é muito rico e complexo e é constituído por um total de 135 edifícios de alvenaria, e alguns em madeira.

O conjunto é formado por edificações construídas em diversas etapas, em função do crescimento e da importância da ferrovia em Campo Grande, conforme abaixo:

Estação de Passageiros (1914/1924/1930) – uma área de 12,00 x 12,00m originalmente, depois expandida para 165,00m de comprimento, com as áreas de bar, apoio, bilheteria, administração de cargas, serviços médicos, depósito, dentre outros. Destaque para a área de entrada com relógio e dois pavimentos, onde ficava a Sala do Movimento. Essa área era utilizada pela Noroeste, como sede administrativa da empresa.

Armazém (1930) – Área de 125,00 x 12,00m, com espaço para carga e descarga interna e externa à esplanada, com contato direto com a malha ferroviária e a Rua Calógeras. O edifício era coberto com telhas de barro assentes em grandes tesouras de madeira e amplos beirais e o revestimento externo em tijolo.



Armazém Cultural – O Armazém Cultural é um espaço para eventos localizado ao lado da Feira Central de Campo Grande. Com a finalidade de armazenar produtos que eram transportados pela via férrea, o Armazém foi construído em 1938. Reinaugurado em 15 de setembro de 2004, depois de ampla reforma, com a denominação de Armazém Cultural, o imóvel faz parte do complexo arquitetônico da Esplanada da Ferrovia de Campo Grande.

Com dimensões de 11,5m. x 125,90, o Armazém Cultural possui pouco mais de 1.440m2 de área livre, totalizando cerca de 1.520m2 de área construída. O Salão não possui forro, deixando aparentes as tesouras de madeira, as telhas e um duto circular do ar condicionado.

De acordo com a lei nº 4.357, de 27 de dezembro de 2005, sua denominação passa a ser Armazém Cultural Helena Meireles.

A Plataforma Cultural dispõe de um atelier para oficinas e workshops; uma galeria climatizada destina a exposições, chamada Galeria de Vidro, amplo espaço coberto e arejado, diante do qual ainda há o pátio a céu aberto.

COMENTÁRIO(S)