Food Fraud e Food Defense, você sabe como esses termos influenciam sua vida?

19/05/2020 07h52
Categoria: Saúde e Qualidade Alimentar

Gláucia Batista

Há muito tempo já se discute sobre esses termos no campo da segurança alimentar, que em português significa FRAUDE DE ALIMENTOS e DEFESA DE ALIMENTOS. E estão empregados na ISO 22000:2018, que substitui a ISO 22000:2005.

A ISO 22000 é uma norma internacional que avalia e certifica o sistema de gestão da segurança de alimentos que abrange toda a cadeia alimentar, sendo da colheita até a mesa do consumidor.

As empresas que possuem essa certificação, produzem alimentos com maior qualidade e segurança ao consumo, se tornando referências no mercado nacional e internacional.

A certificação, se ampara nas técnicas desenvolvidas para controle de contaminação cruzada, substituição de ingrediente, adição, adulteração, falsificação, rotulagem, informações sobre o produto, sendo feita de forma intencional ou não, onde a empresa possa visar somente ganho econômico e causar danos à saúde do consumidor, e por isso, está sempre atualizada conforme as necessidades do setor de alimentos.

A fraude de alimentos é assunto sério, e pelo fato de o sistema de produção de alimentos estar em crescimento constante, se tornou alvo de investigações e preocupações da saúde pública, pois podem afetar totalmente o valor nutricional dos alimentos. São vários os riscos da fraude de alimentos, como, ocultação de substâncias alergênicas nas embalagens, adição de metais pesados em suplementos, produtos diluídos com água não potável, valor nutritivo incorreto, e até mistura de carnes de origem duvidosas ou de animais que não são habituais ao consumo.

Qualquer alimento pode sofrer uma fraude, mas os mais comuns são os alimentos mais caros ou produzidos com variações de safra e entressafra de colheita. Em ordem decrescente, os alimentos mais adulterados no mundo são leite e derivados, azeite de oliva, mel, bebidas, carnes e derivados, peixes e frutos do mar, café, chás e pimenta do reino moída.

Isso tudo ocorre, devido a empresa visar somente o lucro, vendendo um produto que foi produzido a baixo custo pelo mesmo valor, mas que abala extremamente a confiança do consumidor, levando a empresa a ter prejuízos enormes.

A rotulagem deve ser fiel, constando exatamente as características que possuem o produto para que seja claro ao consumidor o que está comprando, caso contrário, além da má reputação para a empresa, poderá ocorrer a retirada do produto do mercado e até custos para a reconstrução da identidade da empresa.

Infelizmente nunca deixarão de existir práticas como estas, prejudicando não só a empresa e os consumidores, mas também os colaboradores e os profissionais que estão envolvidos no processo, podendo estes perder ou ter seu registro suspenso, já que fraude de alimentos é crime.

Com o avanço das tecnologias, e o aumento da produção de alimentos, as fraudes se tornam cada vez mais comum e difíceis de serem detectadas, e ao comprar um produto fraudado, estamos sendo lesados financeiramente e nutricionalmente, por isso temos que estar cada dia mais atentos ao que compramos e, escolher produtos de qualidade, ler rótulos, identificar alterações nas características normais do produto como cor, cheiro ou textura. Sendo assim, qualquer sinal de desconfiança sobre o produto comprado, vale uma investigação mais a fundo. Fique de olho!

Gláucia Batista - Nutricionista especialista em Vigilância Sanitária e Controle e Qualidade de Alimentos - CRN 3 - 29670

COMENTÁRIO(S)