Biblioteca Estadual oferece curso de Braille Online para pessoas que enxergam

16/02/2021 08h44
Categoria: Gerais

Assessoria

Para você que tem interesse em conhecer mais sobre o universo do cego e para professores que trabalham com educação especial e inclusiva, apareceu uma excelente oportunidade de aprendizado: é o Curso de Braille Online pela plataforma incluibrasil/ead, que vai ser oferecido gratuitamente pela Biblioteca Estadual Dr. Isaias Paim, unidade da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul.

O curso começa no dia 1º de março, às 9 horas, e vai ser realizado até o dia 1º de abril, três vezes por semana, sempre às segundas, quartas e sextas, das 9 às 10 horas. O facilitador do curso será o professor João Marcos Tavares Ferreira. Será conferido certificado de 20 horas/aula aos participantes.

O fato de o curso ser direcionado às pessoas que veem possibilita sua realização online, pois as pessoas que enxergam não precisam do tato para ler em Braille. O Sistema Braille é um código universal de leitura tátil e de escrita, usado por pessoas cegas. Foi desenvolvido na França por Louis Braille, um jovem cego, a partir do sistema de leitura no escuro, para uso militar, de Charles Barbier.

Utilizando seis pontos em relevo dispostos em duas colunas, possibilita a formação de 63 símbolos diferentes, usados em literatura nos diversos idiomas, na simbologia matemática e científica, na música e mesmo informática. Com o aprendizado do sistema composto por 63 símbolos formados pela combinação de seis pontos em uma célula, o indivíduo que vê pode ler textos em Braille apenas substituindo as letras comuns pela nova simbologia.

O Braille Virtual é uma animação gráfica que pretende facilitar o aprendizado do sistema. Com os símbolos divididos em grupos de 10, o usuário poderá perceber primeiramente quais pontos formam cada letra Braille. Num segundo momento há a repetição de cada letra, no intuito de facilitar a memorização. Terminada a animação, o usuário pode clicar em cada célula Braille disposta para repetir o aprendizado. A partir do segundo grupo de letras, ao se acrescentar ou retirar apenas um ponto do grupo anterior, forma-se um novo grupo de letras, acelerando o processo.

Os objetivos do curso são: tornar fácil a compreensão do universo que envolve o cego, permitindo a desconstrução dos estigmas, descriminação, preconceitos da sociedade; tornar possível as relações entre cegos e não cegose apresentar os instrumentos: computador, bengala, tecnologia assistida, etc, facilitando a construção dessa convivência e relação social; esclarecer as famílias, sociedade, líderes religiosos, acadêmicos sobre aspectos de inclusão, acessibilidade, direitos e garantias pertinentes e recíprocas entre si.

Essa proposta é uma parceria desenvolvida pela Federação Inclui Brasil, por meio da plataforma – www.incluibrasil/ead, por intermédio do professor João Marcos Tavares e a Biblioteca Pública Estadual Isaías Paim (FCMS).

As inscrições podem ser feitas somente por telefone: (67) 3316-9161, de segunda a sexta-feira, das 8 às 16 horas. Mais informações pelo e-mail: [email protected]

Foto: Divulgação USP

COMENTÁRIO(S)