E Jesus que queria ser Rei na terra de Cristo!

23/07/2020 07h30
Categoria: Futebol, Samba e cia

Jakson Pereira

Faz quase um ano que o Flamengo surpreendeu ao trazer o português Jorge Jesus para ser o seu líder — sim, um líder, não apenas técnico.

Logo a palavra Mister se tornou sinônimo de liderança na Gávea, no Brasil e, por que não, na América. Quanta alegria!

Com um currículo vitorioso na terrinha, tornou-se um dos treinadores mais amados da história do clube carioca, ganhou títulos e o respeito da arquibancada e sabemos que essa é uma tarefa dura e para poucos.

Tente me ajudar: qual foi o técnico que fez a torcida Rubro-Negra implorar por ele? Não que não tenha tido técnicos vitoriosos, teve muitos como Carlinhos, Carpegiani, Flavio Costa, ou os meteóricos e até impressionantes, como Andrade. Mas Jesus chegou para fazer com que a figura de Abel Braga, seu antecessor, fosse apagada. Quantas vaias da arquibancada, quanto desespero com as escalações de Abelão, e em pouco tempo o português fez o que lhe foi pedido para um time cheio de estrelas: ser vencedor. No caso, fez mais. Jogou bonito, ganhou respeito, assustou o Liverpool. Tudo foi muito rápido, até a despedida.

Então, na hora do tchau, posso dizer que Jesus brilhou na terra de Cristo. Conquistou um reinado e por muito tempo seus substitutos irão sofrer com as comparações. Vamos esperar o próximo, que venha para vencer, que venha logo. O flamenguista se acostumou com brilho no banco, mas enquanto Jesus vai e ninguém chega para brilhar, olhe pra cima, do Maraca mesmo, que Cristo, o verdadeiro Redentor, estará de braços abertos e brilhando.

COMENTÁRIO(S)